6 de janeiro de 2011

Beatles no iTunes - Acordo Revolucionário?




A chegada dos Beatles ao iTunes foi anunciado com tal pompa e circunstância que acabou por ser até considerada exagerada. Mas, afinal, parece que o negócio poderá ter implicações mais vastas do que as que se adivinhavam inicialmente.

Ao que parece, o negócio é inovador pois paga directamente parte dos lucros à banda, em vez de - como é feito tradicionalmente - pagar à editora, e deixar essa distribuição de lucros a seu cargo.

Aproveitando a imagem com que o meu caro colega Marco ilustrou o seu excelente artigo sobre a "pirataria" no Bitaites, tradicionalmente a distribuição dos lucros de uma música é algo deste género:

Sim, é por isto que as editoras tanto defendem os "direitos dos músicos" quando apontam as armas anti-pirataria a todos os que compram músicas legalmente.

Este negócio entre a Apple/iTunes e os Beatles, poderá ser o prenúncio daquilo que será mais justo para os artistas: passando a distribuição musical funcionar um pouco ao estilo do que sucede com as Apps na App Store. A Apple, enquanto distribuidora, fica com uma percentagem, mas a grande fatia dos lucros vai para os criadores!

Assim já perceberão o pânico que faz com que certas associações ditas de "defesa dos artistas" tomem medidas desesperadas... como anunciar a tal perseguição a 1000 IPs Portugueses mensalmente.

(Acho até que a ZON já fez a parceria com a FON como "trunfo" para se livrar destas chatices: sendo que os Foneros disponibilizam a sua ligação para que outras pessoas a possam utilizar... A tentativa de fazer corresponder o tráfego de um IP a uma única pessoa vai por água abaixo... Boa sorte ACAPOR!)

Daqui



Sem comentários:

Enviar um comentário